Notícia

Diagnóstico e tratamento da infecção genital pelo HPV em ambos os sexos

Vários estudos evidenciam que o epitélio genital masculino constitui reservatório do vírus HPV, sugerindo ainda que o pênis e a uretra são os locais mais comuns.

Nos homens, e de modo semelhante nas mulheres , 65% das infecções regridem espontaneamente, 14%  tem alto índice de recorrência e 45% dos tratados podem manter o vírus latente, ou seja, serem portadores.

As localizações mais frequentes do HPV no homem são:prepúcio, corpo do pênis, glande, escroto e uretra e o DNA do vírus pode estar presente na superfície aparentemente normal desses sítios.

A existência de tais reservatórios, portanto, pode ser pré-requisito para a transmissão sexual do HPV, bem como para o encontro de lesões pré-neoplásicas ou neoplásicas associadas a esse vírus em ambos os sexos.

 

Quando o homem apresenta uma lesão verrucosa, visível, o diagnóstico é mais direto, porém nos casos de lesões subclínicas a situação já é mais difícil. Nesses casos, a lesão deve ser localizada através de inspeção minuciosa.

A  GENITOSCOPIA é portanto o exame para investigação inicial  da presença de lesões causadas pelo HPV no pênis, e em outras regiões do períneo masculino. A pesquisa do DNA do HPV uretral no exame de urina , pode também ser útil como meio diagnóstico deste sítio.

Já a biópsia dirigida de lesões suspeitas por HPV sob anestesia local, permite a coleta de material para estudo histológico posterior e de biologia molecular como a CH e a genotipagem ( PCR ) .

Existem inúmeras modalidades de tratamento conquanto nenhum deles seja ideal , dependendo assim o seu sucesso: da confirmação da presença do vírus; de sua oncogênicidade; da carga viral no material examinado ; do sítio ou da disseminação das lesões e de seu tamanho.

Entre os métodos elegíveis para tratamento eficaz de rotina estão principalmente, a cauterização com ATA 70-80 %, o uso de Laserterapia, ou ainda, a imunoterapiaassociada com Imiquimode .

Temos pois todos os meios disponíveis na IDEM , de colocar à disposição dos colegas ginecologistas , urologistas e clínicos, os métodos relacionados acima , tanto para o diagnóstico como  para o tratamento dos pacientes de ambos os sexos, com suspeita de infecção genital pelos diferentes sub tipos de HPV.

Fonte: Dr.Eduardo Bari – Ginecologista da Clinica IDEM/ Vera Harfushb